Paróquia de Macieira de Cambra

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADAVR/PVLC06
Title type
Atribuído
Date range
1665-08-06 Date is certain to 1911-03-31 Date is certain
Dimension and support
126 liv. (1,00 m.l.)
Extents
1 Metros lineares
Biography or history
Orago de Nossa senhora da Natividade.

A primeira referência escrita acerca da freguesia encontra-se num documento de doação anterior à fundação da nacionalidade no qual, no ano de 992, Ordonho II de Leão e Castela dá estas terras ao Bispo D. Gomado do Mosteiro de Crestuma.

Talvez lhe tenha sido concedido foral nos inícios da nacionalidade, no tempo de D. Sancho I, já que no foral de D. Manuel I, concedido séculos mais tarde se fazem referências ao maço 5 dos forais antigos. Pertencendo ao Julgado Medieval de Cambra, é mencionada nas Inquirições de D. Dinis.

A 10 de Fevereiro de 1514 é concedido foral à Vila de Macieira por D. Manuel I. Tornando-se assim, sede do concelho, ainda hoje é visível na praça o Pelourinho, símbolo do poder municipal.

Macieira, tal como as restantes terras de Cambra, esteve incorporada nos domínios da diocese de Mérida, sendo depois incluída no património do bispado de Coimbra, criado muito antes da fundação de Portugal. Do arcediago do Vouga, bispado de Coimbra, segundo documentação do séc. XIV, nele se manteve até a criação do bispado de Aveiro em 1774, onde se manteve até 1882, quando por extinção deste bispado, transitando então, para a diocese do Porto, onde ainda se encontra. Nessa altura pertencia ao então criado Distrito Eclesiástico de Cambra.

Depois, quando transitou para o Porto foi incluída na Comarca Eclesiástica de Arouca constituindo o distrito ou vigaria da Vara n.°3 - Macieira de Cambra, da dita comarca.

Quando em 1916 surge o agrupamento por vigararias, cria-se a vigararia de Macieira de Cambra, sendo que actualmente esta paróquia faz parte da vigararia do concelho de Cambra, a 6.ª Vigararia, formada por Cambra e Carregosa.

Juridicamente da Comarca de Esgueira, em 1527, passou sucessivamente para as comarcas de Estarreja em 1839, de Arouca em 1852 e de Oliveira de Azeméis em 1874. Na actualidade pertence à Comarca de Vale de Cambra, desde a sua criação em 1980, pelo decreto-Lei n.° 87 de 14 de Abril.
Custodial history
Esteve na posse da Igreja paroquial até à criação do Registo Civil, em 1911, publicada no Diário do Governo nº 41 de 1911-02-20. Nesta data as paróquias foram obrigadas por lei, a entregar os livros de registos de Batismo, casamento e óbitos às repartições do Registo Civil.

Este fundo esteve na posse do Arquivo da Universidade de Coimbra até ao ano de 1976, já que apesar de ter sido criado em 1965, pelo Decreto nº 46350, de 22 de Maio, o Arquivo Distrital de Aveiro, só viria a dispor de instalações seis anos mais tarde, tendo no ano de 2002 transferido a documentação para as atuais instalações do Arquivo Distrital de Aveiro.
Acquisition information
Incorporações provenientes do Arquivo da Universidade de Coimbra 1976-04-14, e

da Conservatória do Registo Civil de Vale de Cambra 2015-10-15; 2009-03-12 e 1989-07-12.
Scope and content
Constituído pelos registos de batismos, casamentos e óbitos.
Arrangement
Organização funcional. Ordenação cronológica dentro das séries.
Access restrictions
Comunicável.

Por razões de preservação, a documentação digitalizada e/ou microfilmada é consultável apenas através da respetiva cópia digital ou microfilme.
Conditions governing use
Regulamento de Reprodução de Documentos, Despacho n.º 6852/2015, Diário da República, 2ª série, N.º 118 de 19 de junho de 2015.
Language of the material
Por (português)
Other finding aid
PORTUGAL. Arquivo Distrital de Aveiro-DigitArq [Em linha].Aveiro: ADAVR, 2016.[Consult. 02 Junho 2016]. Atualização diária. Disponível em URL:http://adavr.dglab.gov.pt
Alternative form available
Existem microfilmes de consulta para os livros n.º 1 a n.º 6 e n.º 8
Creation date
1/30/2007 12:00:00 AM
Last modification
7/29/2016 4:06:12 PM