Paróquia de Lobão

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADAVR/PVFR11
Title type
Atribuído
Date range
1621-11-13 Date is certain to 1911-03-30 Date is certain
Dimension and support
143 liv. (1,50 m.l.)
Extents
1.5 Metros lineares
Biography or history
Orago de São Tiago.

A povoação de Lobão, situada no Município de Santa Maria da Feira, distrito de Aveiro, é conhecida desde muito cedo na documentação histórica.

A base do seu topónimo é um nome pessoal que, embora não muito frequente, surge em 906 como Lupon e depois em 967 como Lubon.

No ano de 1101, Patrina Eris e filhos doaram à Sé de Coimbra, na pessoa do Bispo D. Maurício, a quarta parte dos seus direitos nesta Igreja, além de outros bens, ficando com usufruto como colonos da Sé.

No ano de 1202, o direito de padroado de Lobão foi cedido ao Mosteiro de Grijó por 100 maravidis de ouro. O padroado veio a ficar à mitra do Porto, por uma transacção, no ano de 1299, entre o bispo do Porto, D. Sancho e o Mosteiro de Grijó. A parte daquele primeiro documento deveria ter passado com a anexação do território Coninbricense acima do Antuã. Em 1296 uma sentença arbitral havia declarado que os cavaleiros que pretendiam ser daqui padroeiros já não o eram mas sim aquele mosteiro.

Pertenceu aos Templários, em 1319 passou para a Coroa e desta para a Ordem de Cristo, no reinado de D. Dinis. A antiga freguesia era no século XVIII um curato e comenda da Ordem de Cristo. Em 1615 era avaliada em 470.000 reis. Lobão beneficiou do foral concedido em 10 de Fevereiro de 1514, pelo rei D. Manuel I, à Feira e Terras de Santa Maria. Depois do século XVIII aparece como curato da apresentação do reitor de Canedo passando posteriormente a reitoria.
Custodial history
Esteve na posse da Igreja paroquial até à criação do Registo Civil, em 1911, publicada no Diário do Governo nº 41 de 1911-02-20. Nesta data as paróquias foram obrigadas por lei, a entregar os livros de registos de Batismo, casamento e óbitos às repartições do Registo Civil.

Este fundo esteve na posse do Arquivo da Universidade de Coimbra até ao ano de 1976, já que apesar de ter sido criado em 1965, pelo Decreto nº 46350, de 22 de Maio, o Arquivo Distrital de Aveiro, só viria a dispor de instalações seis anos mais tarde, tendo no ano de 2002 transferido a documentação para as atuais instalações do Arquivo Distrital de Aveiro.
Acquisition information
Incorporações provenientes do Arquivo da Universidade de Coimbra 1976-04-14, e

da Conservatória do Registo Civil de Santa Maria da Feira em 2011-01-12 ; 2009-02-02; 2006-04-19; 2008-04-24; 1991-05-21.
Scope and content
Constituídos por: batismos, casamentos e óbitos.
Arrangement
Organização funcional. Ordenação cronológica dentro das séries.
Access restrictions
Comunicável.

Por razões de preservação, a documentação digitalizada e/ou microfilmada é consultável apenas através da respetiva cópia digital ou microfilme.
Conditions governing use
Regulamento de Reprodução de Documentos, Despacho n.º 6852/2015, Diário da República, 2ª série, N.º 118 de 19 de junho de 2015.
Language of the material
Por (português)
Other finding aid
PORTUGAL. Arquivo Distrital de Aveiro-DigitArq [Em linha].Aveiro: ADAVR, 2016.[Consult. 02 Junho 2016]. Atualização diária. Disponível em URL:http://adavr.dglab.gov.pt
Alternative form available
Existem microfilmes de consulta para os livros n.º 1 a n.º 8
Creation date
1/30/2007 12:00:00 AM
Last modification
8/30/2016 9:35:58 AM