Paróquia de Branca

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADAVR/PALB04
Title type
Atribuído
Date range
1600-09-03 Date is certain to 1911-03-30 Date is certain
Dimension and support
132 liv. (1,50 m.l.)
Extents
1.5 Metros lineares
Biography or history
Orago de São Vicente.

O primitivo nome deste povoado foi Auranca e já no remoto do ano de 1098 se lhe encontram referências. Mais tarde, a 7 de julho de 1139, esteve aí o Bispo de Coimbra, de passagem para Cucujães, onde se foi avistar como o então Infante Afonso Henriques. Nas inquirições de Afonso ll, em 1220, a Vila da Branca consta como possuindo 37 casais. Pensa-se que a Vila se situava à volta da igreja matriz. a antiga freguesia pertencia ao Priorado do Padroado Real da Vila de Bemposta, sendo donatário o Marquês de Angeja e, daí constar do Foral concedido a esta última por D. Manuel I, em 15 de Agosto de 1514. Consta ainda que foi doado por D.Pedro II em 1690, a Bernardo Torres da Silva e que pelo Monarca Reinante foi concedida à Branca, em 1790, uma considerável soma em dinheiro. Dentro da povoação, mais precisamente junto a Albergaria-a-Nova, em 10 de Maio de 1809, no decorrer da Segunda invasão Francesa, as linhas avançadas do exército Anglo-Luso travaram com êxito um combate com as forças invasoras de General Soult, forçando-as a recuar para norte.

A Branca tem por padroeiro São Vicente e a Igreja Matriz, construída nos finais do séc.XVII, tem a particularidade de possuir a torre na parte posterior, por trás do Altar-Mor. É dotada, no seu interior, de rica talha dourada executada no antigo arsenal da marinha. Diz uma tradição que antes de edificada a torre da Igreja, os sinos estiveram durante alguns anos pendurados num frondoso carvalho existente no adro, a que chamavam o "Carvalho do Sino", e que teria sido mais tarde inconscientemente derrubado. O primeiro pároco colocado que se conhece foi Reverendo Pedro Nunes, cujo falecimento ocorreu a 24 de Fevereiro de 1586.
Custodial history
Esteve na posse da Igreja paroquial até à criação do Registo Civil, em 1911, publicada no Diário do Governo nº 41 de 1911-02-20. Nesta data as paróquias foram obrigadas por lei, a entregar os livros de registos de Batismo, casamento e óbitos às repartições do Registo Civil.

Este fundo esteve na posse do Arquivo da Universidade de Coimbra até ao ano de 1976, já que apesar de ter sido criado em 1965, pelo Decreto nº 46350, de 22 de Maio, o Arquivo Distrital de Aveiro, só viria a dispor de instalações seis anos mais tarde, tendo no ano de 2002 transferido a documentação para as atuais instalações do Arquivo Distrital de Aveiro.
Acquisition information
Incorporações provenientes do Arquivo da Universidade de Coimbra 1976-04-14, e

da Conservatória do Registo Civil de Albergaria-a-Velha em 2012-02-22; 2010-01-10 e 2008-10-17.
Scope and content
Constituído pelos registos de batismos, casamentos e óbitos
Arrangement
Organização funcional. Ordenação cronológica dentro das séries.
Access restrictions
Comunicável.

Por razões de preservação, a documentação digitalizada e/ou microfilmada é consultável apenas através da respetiva cópia digital ou microfilme.
Conditions governing use
Regulamento de Reprodução de Documentos, Despacho n.º 6852/2015, Diário da República, 2ª série, N.º 118 de 19 de junho de 2015.
Language of the material
Por (português)
Other finding aid
PORTUGAL. Arquivo Distrital de Aveiro-DigitArq [Em linha].Aveiro: ADAVR, 2016.[Consult. 06 Julho 2016]. Atualização diária. Disponível em URL:http://adavr.dglab.gov.pt
Alternative form available
Existem microfilmes de consulta para os livros n.º 1 a n.º 6
Creation date
1/3/2007 12:00:00 AM
Last modification
7/26/2016 3:20:12 PM